Textos


CARTA DO CÉU
 
Meu filho quero falar contigo, não te vejo mais orando as madrugadas, não ouço mais aqueles lindos hinos que você louvava, o que está acontecendo?

Eu vejo que o teu sorriso sumiu, a tua alegria desapareceu, porque meu filho?
Conte para mim a tua dor, o teu sofrer, quero te abraçar, se estais cansado eu te carrego em meus braços, mas não te quero ver assim!

Eu sou o teu Pai Celestial, eu sou teu amigo fiel, eu sou o teu Deus, eu sou o teu Provedor e Salvador!

Cadê os meus dons que te entreguei meu filho? A onde tu puseste? Cadê as minhas joias preciosas que eu te presenteei? Meu filho amado cadê aquilo que eu te dei?

Fale comigo, eu quero te ajudar, eu quero te encher da minha glória, mas abra a tua boca, converse comigo, abra o teu coração! Eis me aqui meu querido filho para te socorrer, eu estou te vendo agora!

Estou sabendo que estais sofrendo, a tua frieza me fere meu filho, a tua distância de mim me machuca muito, pois fique sabendo que eu te amo, eu te amo!

Meu filho tu não tem saudades do teu Pai? O que eu te fiz meu filho para tu se distanciar de mim? Volta agora mesmo, eu estou com os braços abertos para te abraçar bem forte, eu quero te aquecer com o meu amor eterno!

Os teus pés estão feridos, oh, quantos espinhos meu filho!  A onde tu andaste? Longe de mim nada poderás fazer e nem conseguirás viver!

Meu filho hoje mesmo eu quero te ver na nossa casa, lá tem lugar para você, não arrume desculpas e outros compromissos, pois eu estou com saudades de você!

Ah, eu não vejo a hora de eu te encontrar! Filho, eu vou chegar primeiro do que todos, eu te espero!
Filho, até lá, não demores, venha logo!
 
DO TEU PAI CELESTIAL!
 
Sábado, 02 de junho de 2018.

02/06/2018      04h08min.
 
Autor Pr Marcelo Gonçalves
Escritor de Deus
Enviado por Escritor de Deus em 02/06/2018

Música: HINO SOLDADO FERIDO - INSTRUMENTAL

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários